sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Bons dias






 Bons dias
E todos de branco
Brindando o esquecimento
Das promessas que nunca cumprirão

Cores para as simpatias
Abraços e copos vazios
 pessoas que nunca se viam
se encontram nesse dia

Mas nunca te disseram
que todas as noites são iguais?


três, dois, um
e todos se abraçam
 muitos se misturam
com a ressaca da praia


e prometem
que ‘’na próxima vai melhorar’’ .
Esqueça as mentiras da vida
ainda da tempo para mais uma simpatia

Ninguém vai perceber
que nada murará
apenas com palavras

Será sempre festas todos os meses,
mas insisto:
‘’bons dias’’
ou será bom ano?

4 comentários:

Fernanda disse...

Oiiii
Encontrei seu blog na comunidade do orkut... gostei bastante e estou te seguindo...
Beijus
Feliz Ano Novo

Bruna Fernanda, 24 anos! disse...

Gostei mto do poema viu, Parabéns, belas palavras!
Bjo.

Neusa Maria de Azevedo disse...

As charges são interessantes. Este poema retrata a condição humana, a vulnerabilidade humana, muito bom.

Convido você a ler meus poemas:
Google: poemas de neusa azevedo

Neusa Maria de Azevedo disse...

Gostei do aspecto vulnerável que este poema retrata. Também do irremediável homem mundano.