segunda-feira, 20 de julho de 2009

Ode á Amizade








Aos meus caros amigos
Estendo o tapete da lealdade
As palavras mais bobas
E uma certeza que um laço amigo
Nunca se rompera

Aos amigos de sempre
Nos momentos da mocidade
Dividiram os momentos mais fiteis
E os mais importantes
Para o menino arredio de ontem
Torna-se um homem sensato

A amizade verdadeira
Não se aluga ou negocia
É espontânea e simples
De valor inestimável
Quando se é encontrada
Pessoas em poucos casos

Das mãos que estendo
Estão nos dedos as que chamam de amigos
O abraço so reforça
O quão eu os respeito

O amigo
É o que te ensina
A compreender e pensar
Nas coisas em sua vida
É o que vai estar
Se estas alegre, ele ri também
Se estas com alguém
Mesmo esquecido. Ele esta ali
E quando o amor lhe esquecer, ele esta ali
Mas é na tristeza
Esse sem duvida
Provara sua amizade

Amigo que torce
Que sempre apóia
Amigo perdido
Esse é que mais fere
Se vai ou parte
Pra sempre

Por ti
Nem ouro , nem prata
Não trocarei o teu apreço

Deixo nessas letras
a semente da amizade
Amigos nunca os esqueçerei
eternos


amigos

4 comentários:

Bia disse...

Muito prazer em te receber
por lá. Venho te visitar, justo
quando escreves sobre a amizade.

Deve ser um bom sinal.

Um beijo.

Caaah. disse...

ah, eu gosto do seu blog *-*
amigos, sempre amigos
não importa o que aconteça, eles estão sempre lá né!? =)
Parabéns,
até a proxima!
BjãoO!

Meire disse...

"Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!"

E eu mesma já dediquei uma poesia aos meus grandes e eternos amigos!

Byers disse...

TEnho medo desse dia do amigo virar algo "obrigatório" como o natal, onde se vc não da um presente vc "não gosta da pessoa".

Espero que tudo passe e eu esteja errado.