segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

So uma palavra....

Mais um fim de tarde se aproxima naquela cidade que não para em nenhum momento. Os carros se aglomeram, formando uma espécie de formigueiro que se tornou rotineiro para aquelas pessoas. Então aparece um homem , com aparência abatida provavelmente já cansado de mais uma jornada de compromissos. Mas conseguiu um tempo, pois tinha um compromisso que não podia se estender por mais tempo. Então que surge outra pessoa: uma mulher de aparência inabalável, óculos escuros , dois celulares , suas vestes quase se confundiam com aquele homem que a aguardava e não parava de olhar seu relógio que provavelmente era importado de algum lugar, aqueles que de tão distantes fica difícil ate pronunciar sua origem.

- bom dia – diz o homem
- quase noite hum?- responde a mulher parecendo ter um tom de ironia sua voz
.
- pensei que não viria – falou o homem que ainda continuava olhando para o relógio, mas agora também olhava para a mulher , que apesar das vestes formais mostrara traços de feminilidade coma pulseira e pequenos brincos .
- disse que viria e Ca estou oras ! você acha que me atrasei de propósito? Não sabe os sacrifícios que fiz para encontrar um espaço na minha agenda pra isso- respondeu a mulher que agora atendia um dos seus celulares e mexia nos cabelos como se algo tivesse que ser concertado neles.
Após desligar o telefone, ela fixa o olhar para ele que também a fitava , mas agia de uma forma diferente, pois também olhara para um outdoor que exibia um casal bem conhecido do grande público que se abraçavam e mostravam em seus sorrisos uma felicidade que parecia tão fácil, mas que precisavam de um rotulo de um produto para se concretizarem.
- me poupe, você sempre diz isso – disse o homem- mas deixemos as imprevistos de lado, e me vamos ao que interessa: como você esta?
- o de sempre: trabalho, trabalho, uns pileques, compras , terapeuta e umas compras pra extravasar- disse a mulher, que em seguida , tira os óculos e lança um olhar pensativa, como se não o reconhecesse – e você o tem feito durante esse tempo ? Aposto que você tem muito mais o que contar! Lançando em seguida um olhar arquejante pondo em duvidas qualquer coisa que ele falasse em resposta.
- não sou como antes, os tempos mudaram. Antes éramos loucos, hoje sou sensato. Não sei o que tínhamos para fazermos aquelas coisas. Mas enfim, me resta pouco tempo para falar.
- verdade, isso tenho que concordar então vamos o que interessa sem rodeios. disse a mulher que logo em seguida se aproxima do homem e subitamente beija-o a fase esperando que algo a surpreendesse. Mas o homem desvia o olhar por instantes, logo pega nas mãos da mulher que já mudara de face, com um olhar triste como se previsse cada palavra que ele ia meticulosamente lançar sobre ela
- chamei-a aqui para acabarmos você sabe mais do que eu que não podemos mais viver dessa forma. Temos nossas prioridades. Os tempos são outros. Agora mais do que nunca precisamos nos dedicar a nossos negócios.
- sim sei disso. Mas esperava que você não acreditasse tanto assim. Esse é seu defeito. Inocente sou eu por ainda acreditar que ainda possamos ter algum vinculo.
Logo após um longo silencio, os celulares de ambos tocam. Tinham variso compromissos pela frente. Então eles se abraçam rapidamente, falam algo que nem eles queriam entender e saíram em direções opostas.

Mas apesar de tudo reuniões, contratos, boletos, shopings , flertes fugazes. Ele também queria dizer algo a ela. Que sim também queria ate mais do sua própria vida. Mas não o orgulho e sua ‘ instabilidade’ não permitiram a palavra . nada. Triste mesmo foi vê-la partir sem dizer as palavras certas, palavras profundas. Não .So mesmo queria dizer algo.

Um comentário:

The Tangerine disse...

otimo texto.
Leve, interessante, bonito!!
parabens, pelo otimo blog